icon-ham

Macau admite que surto de sarampo em regiões vizinhas pode causar “situação mais grave”

epa07421365 A demonstrator wears a mask outside the US Consulate in Hong Kong, China, 08 March 2019. Demonstrators and members of Real Hong Kongers' View group, protested against recent comments by Kurt Tong, the Consul General of the USA to Hong Kong and Macau, claiming that Tong is interfering in the internal affairs of the Hong Kong Special Administrative Region (SAR). Tong had said incidents like the banning of a political party, disqualification of election candidates and expulsion of a foreign journalist were causes for concern regarding the One Country, Two Systems principle and that would affect Hong Kong's status as an international business centre.  EPA/JEROME FAVRE

As autoridades de Macau admitem que com o surto de sarampo em regiões vizinhas a situação no território será este ano “potencialmente mais grave do que em anos anteriores”.

Em conferência de imprensa, os Serviços de Saúde informaram que desde o início de 2019 já foram registados oito casos, quando em todo o ano de 2018 apenas foram detetados cinco, o que leva as autoridades a concluir que “existe um aumento significativo em comparação com os números do ano transato”.

Só nas Filipinas, em fevereiro, tinham sido identificados mais de quatro mil casos e 70 mortos devido ao surto do sarampo.

Citado num comunicado, o coordenador do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde afirmou hoje acreditar que a situação “ainda é controlável”, pelo que “não existem razões para que a acreditação [de erradicação da doença] seja retirada pela Organização Mundial da Saúde”, ainda que as autoridades sublinhem o “grande número de trabalhadores oriundos das Filipinas e do Vietname”, um cenário que aumenta o risco de casos importados.

Os Serviços de Saúde voltaram a apelar à vacinação na mesma conferência de imprensa em que foi dado a conhecer que “nas últimas 24 horas foram diagnosticados mais dois novos casos, um dos quais detetado numa médica que recentemente tratou um caso importado”.

Das oito pessoas diagnosticadas, cinco são casos importados e três denominados como “relacionados com sarampo importado”, esclareceram as autoridades.

"O sarampo é altamente contagioso, sendo uma doença muito comum em crianças (...) com baixa taxa de cobertura vacinal", sublinharam os Serviços de Saúde na mesma nota.

João Carreira