icon-ham

Receitas do jogo em Macau crescem 5,9% em junho para 2,6 mil milhões de euros

epa00799946 A dealer gathers gaming chips at the newly opened 'Treasure Level' at the Sands Casino in Macao, Wednesday, 23 August 2006 By adding a further 273 gaming tables over more than 64,000 square feet of space on three floors, the casino owned and operated by the Las Vegas Sands Corporation increased it's size by 58per cent. This increase makes it now the largest casino in the world. The casino now accommodates a total of 740 gaming tables and 1,254 slot machines.  EPA/ALEX HOFFORD

Os casinos de Macau fecharam o mês de junho com receitas brutas de 23,8 mil milhões de patacas (2,6 mil milhões de euros), mais 5,9% em relação ao período homólogo de 2018.

Contudo, as receitas brutas acumuladas nos primeiros seis meses do ano diminuíram 0,5% em relação a 2018, indicou a Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ).

Entre janeiro e junho, as receitas brutas foram de 149,5 mil milhões de patacas, contra 150,2 mil milhões de patacas em igual período do ano anterior, de acordo com os dados publicados na página 'online' da DICJ.

Em junho de 2018, os casinos registaram receitas de 22,5 mil milhões de patacas.

Capital mundial do jogo, Macau é o único local na China onde o jogo em casino é legal.

No território operam seis concessionárias e subconcessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada pelo magnata Stanley Ho, Galaxy, Venetian, Melco Resorts, Wynn e MGM.

Em 2018, as receitas dos casinos cresceram 14%, para 302,9 mil milhões de patacas (32,8 mil milhões de euros).

Miguel Mâncio