icon-ham

Principais datas das relações diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China até 1999

1975
- O Governo português reconhece a República Popular da China (RPC) como único e legítimo representante do povo chinês. Reconhece também que Taiwan é parte integrante da China e que "Macau será motivo de negociações no momento que for considerado apropriado pelos dois Governos";
- Iniciam-se em Paris conversações informais sobre o estabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China;
- A guarnição militar portuguesa abandona Macau.

1976
- É aprovado o Estatuto Orgânico de Macau, que estabelece regras de autonomia e formaliza a definição de Macau como "Território chinês sob administração portuguesa".

1979
- 08 de fevereiro - Portugal e a República Popular da China estabelecem relações diplomáticas;
- Juntamente com o comunicado conjunto para o estabelecimento de relações diplomáticas, Portugal assinou com a República Popular da China uma Ata de Conversações que os dois países decidiram manter secreta, na qual se lia que Macau era território chinês e que servia devolvido à China quando ambos os Governos considerassem adequado.

1981
- Um grupo de empresários de Hong Kong cria em Macau a Universidade da Ásia Oriental, que viria a transformar-se na Universidade de Macau depois de adquirida pela administração portuguesa do território.

1982
- junho – O líder supremo chinês, Deng Xiaoping, declara que a China detém a soberania de Hong Kong e Macau e que estes territórios serão reintegrados na RPC dentro de poucos anos, sob a insígnia “Um país, dois sistemas”.

1985
- 22 de maio - O Governo chinês indica formalmente que quer iniciar negociações para transferir o território, durante uma visita a Pequim do então Presidente da República português, António Ramalho Eanes;
- Em seguida, Ramalho Eanes anuncia em Macau o início de negociações entre os dois países sobre a transferência de administração;
- O Governo português nomeia uma delegação negocial chefiada pelo embaixador Rui Medina, de que farão parte os diplomatas João de Deus Ramos e Nuno Lorena (cônsul-geral em Hong Kong), José Henriques de Jesus (delegado do primeiro-ministro, Aníbal Cavaco Silva) e Carlos Gaspar (assessor político do Presidente da República, Mário Soares, entretanto eleito), coadjuvados pelo embaixador de Portugal em Pequim, Octávio Neto Valério, como consultor, e pelo secretário-adjunto do governador de Macau, António Vitorino, que ficou encarregado da parte jurídica.

1986
- Primeira reunião plenária do Grupo de Ligação Luso-Chinês encarregado de preparar a transição de Macau;
- 30 de junho – Início das negociações entre Portugal e China sobre a transferência de poderes em Macau, que durariam uns intensos nove meses, com quatro rondas (40 horas à mesa das negociações) e 11 reuniões do grupo de trabalho (mais de 400 horas).

1987
- O Conselho de Estado chinês aprova a transferência da administração portuguesa de Macau para a China antes do ano 2000;
- 13 de abril – Assinatura em Pequim da Declaração Conjunta Luso-Chinesa sobre o Futuro de Macau, que estabelecia os termos da transferência de soberania do território, pelos primeiros-ministros Cavaco Silva e Zhao Zhyiang, na presença do líder chinês, Deng Xiaoping.

1988
- 06 de outubro - Domingos Lam torna-se o primeiro bispo de origem chinesa da Diocese de Macau desde que esta foi fundada, em 1576.

1991
- O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Qian Qichen, desloca-se a Lisboa, e durante a visita é acordada a oficialização da língua chinesa e da língua portuguesa em Macau depois da transferência da administração;
- Começa a ser discutida a construção do aeroporto de Macau.

1993
- A Lei Básica de Macau, o diploma constitucional da futura Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), é aprovada e promulgada pela Assembleia Nacional Popular da RPC.

1995
- Inauguração do aeroporto de Macau;
- Estabelecimento de ligações aéreas indiretas entre Taiwan e a China, via Macau;
- O Banco da China torna-se, juntamente com o Banco Nacional Ultramarino, banco emissor de moeda de Macau.

1997
- Transferência da administração de Hong Kong do Reino Unido para a China, antecipando-se em dois anos a processo semelhante em Macau.

1998
- O vice-primeiro-ministro chinês, Qian Qichen, anuncia a decisão de Pequim de estacionar tropas em Macau depois da transferência de poderes. O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Jaime Gama, lembra que o estacionamento de tropas nunca foi discutido entre os dois países e não está previsto na Declaração Conjunta Luso-Chinesa sobre a questão de Macau.

1999
-19 de dezembro - Último dia da administração portuguesa;
- 00:00 de 20 de dezembro - As bandeiras de Portugal e do Leal Senado dão lugar às da República Popular da China e da Região Administrativa Especial de Macau;
- Transferência da administração de Macau para a República Popular da China, com a presença dos presidentes de Portugal, Jorge Sampaio e da China, Jiang Zemin;
- Entra em vigor a Lei Básica da Região Administrativa Especial de Macau;
- 01:46 de 20 de dezembro - Edmund Ho Hau Wah é empossado como primeiro chefe do executivo da Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China pelo primeiro-ministro chinês, Zhu Ronji, numa cerimónia realizada no Fórum de Macau e presidida pelo Presidente chinês, Jiang Zemin.

Ana Nunes Cordeiro