icon-ham

Operadora de jogo Melco com lucros de 310 milhões de euros

epa04998528 An exterior view of Macau Studio City casino and resort, owned by Melco Crown Entertainment Ltd., in Cotai, Macau, China, 27 October 2015. The new 3.2 billion US dollars, 2.9 billion euros, casino and resort opens on 27 October. The former Portuguese colony is experiencing one of its worst downturns as a result of Chinese President Xi Jinping's huge crackdown on corruption and luxury spending.  EPA/JEROME FAVRE

 

A operadora de jogo Melco Resorts & Entertainment apresentou no ano passado lucros líquidos de 351,5 milhões de dólares (310,6 milhões de euros), um aumento de 1,3% em relação ao período homólogo de 2017.

O grupo liderado por Lawrence Ho, filho do magnata do jogo de Macau Stanley Ho, anunciou, em comunicado, que as receitas globais da Melco em 2018 chegaram aos 5,2 mil milhões de dólares, menos 100 milhões de dólares que no ano anterior.

De acordo com o comunicado do grupo, a operadora com casinos em Macau e nas Filipinas apresentou 1.477 milhões de dólares de EBITDA ajustado (resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações), uma queda de mais de cem milhões de dólares em relação ao período homólogo de 2017.

A grande fatia das receitas do grupo veio através do jogo (4.463 milhões de dólares), que diminuíram quase 500 milhões de dólares face a 2017. No ano passado, a operadora de jogo tinha registado receitas de jogo na ordem dos 4.937 milhões de dólares.

No comunicado divulgado na noite de terça-feira, a Melco anunciou ainda lucros, no quarto trimestre de 2018, de 128 milhões de dólares, em comparação com os 81,2 milhões de dólares no mesmo período em análise de 2017.

No último trimestre do ano, o grupo apresentou 1.396 milhões de dólares de receitas, mais 5% que nos últimos três meses de 2017.

Lawrence Ho tem manifestado por diversas ocasiões a intenção do grupo garantir uma licença no Japão, depois de o parlamento nipónico ter aprovado a abertura de três casinos a partir de meados de 2020, uma ambição uma vez mais patente: “o Japão continua a ser um foco central para nós”, disse.

O filho de Stanley Ho realçou ainda o facto de o Governo de Macau ter autorizado em janeiro um aumento de 40 mesas de jogo no resort integrado’ City of Dreams, situado na faixa de casinos entre as ilhas da Taipa e de Coloane, o casino mais lucrativo de grupo.

Macau, a capital mundial do jogo e o único local na China onde os casinos são legais, registou, no ano passado, quase 33 mil milhões de euros em receita do jogo, o que representa um aumento de 14% em relação ano de 2017, de acordo com dados oficiais divulgados no princípio do mês.

Operam no território seis concessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada por Stanley Ho, Galaxy, Venetian, Melco, Wynn e MGM.

Miguel Mâncio