icon-ham

Integração na China é “oportunidade de ouro” para portugueses em Macau

O Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), Fernando Chui Sai On, discursa durante a cerimónia que marca o 19.º aniversário da Região Administrativa especial de Macau, que decorreu esta manhã na Torre de Macau, em Macau, China, 20 de dezembro de 2018. CARMO CORREIA/LUSA

A integração de Macau na China é uma “oportunidade de ouro” para os residentes e para a comunidade portuguesa, defendeu o chefe do Governo do território em entrevista à Lusa.

“Acredita-se que com a entrada do país numa nova era, o desenvolvimento de Macau irá também avançar para uma nova fase, e, neste sentido, a comunidade portuguesa de Macau poderá igualmente ter um papel maior e mais ativo”, afirmou Fernando Chui Sai On numa entrevista exclusiva por escrito.

O chefe do Executivo, que inicia no sábado uma visita oficial a Portugal, lembrou que “desde o estabelecimento da RAEM [Região Administrativa Especial de Macau], há 20 anos, o Governo tem dado elevada importância ao papel social da comunidade portuguesa, no respeito e na proteção da sua língua, cultura, religião e costumes”.

O Governo de Macau “tem ainda incentivado e apoiado a comunidade portuguesa a participar, de forma ativa, no desenvolvimento e nos assuntos da RAEM, em vários domínios”, frisou.

Por outro lado, Chui Sai On sublinhou que “a comunidade portuguesa de Macau, especialmente os macaenses, potenciou o papel de ponte de comunicação e intercâmbio de culturas”, com impacto no “desenvolvimento da cidade e progresso histórico”.

A crescente integração do território na China não deve ser temida pelos portugueses, cuja comunidade “deve ter ainda maior confiança nas perspetivas de desenvolvimento de Macau”, salientou.

A visita do chefe do Governo de Macau prolonga-se até 19 de maio, estando agendadas reuniões com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e com o primeiro-ministro, António Costa.

João Carreira